Segunda-feira, 18 de Maio de 2009
Onde Judas perdeu a roupa

O Conselho Executivo da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos José Maria dos Santos, no Pinhal Novo, proibiu alunos, professores e funcionários de usarem tops com decotes pronunciados. Eu nunca fui contra os decotes, longe disso, até porque a minha altura permite-me ver bem essa situação. Ainda que inadvertidamente. Mas esta decisão só peca por tardia e por ser única.

Vozes já se levantaram contra esta medida. Mais uma vez, dá a ideia de que qualquer medida que seja tomada traz consigo o fantasma de algo que já lá foi, dá a ideia que as pessoas andam aterrorizadas à procura de Salazar nas sombras. Eu acredito que tenha sido terrível apanhar da PIDE e não poder beber Coca-Cola no cinema. Mas «Democratização do ensino» e «Festival Erótico de Lisboa» não devem ser confundidos. E a fronteira está perigosamente frágil.

Não se trata aqui de atentar à liberdade, nem de a suprimir. Aliás, as fardas - apesar do seu recente reaparecimento nos meios de comunicação social como um projecto a considerar - parecem não pegar. Apesar de eu considerar que não seria mau de todo: diminuiria a competição mais fútil e fomentaria a igualdade e o asseio - e eu, infelizmente, e sem que fosse minha intenção, bem sei que o asseio faria maravilhas a muito boa gente.

Estas normas de conduta são apenas transcrições do que não seria necessário explicitar: o bom senso. Desde que haja noção do sítio onde se está e da situação em que se encontra, está tudo óptimo. Alegar liberdade para justificar libertinagem é que não me parece apropriado. Alega-se que a roupa realça a identidade, e eu penso que a libertinagem a retira.

Por essa ordem de ideias, os políticos passariam a usar sandálias na Assembleia da República porque os sapatos aleijam os pés. Na Marinha, os militares iriam de calções de banho e manga cava, porque sempre dava para apanhar uma cor. E era ver os Pauliteiros de Miranda com as calças a cairem até aos joelhos. E era ver a Luciana Abreu seminua no programa da manhã e decotes estrondosos do Festival da Eurovisão... Ah...isso já se verifica. Parece-me a mim que o vírus das Porcas se espalha mais depressa do que a Gripe dos porcos.



por diogohoffbauermdias às 20:23
link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

14 comentários:
De Anónimo a 18 de Maio de 2009 às 23:21
Boa crítica, oportuna e com um algum humor à mistura. Parabéns


De diogohoffbauermdias a 18 de Maio de 2009 às 23:37
Obrigado. Anónimo é nome próprio ou apelido?


De LopesCa a 19 de Maio de 2009 às 00:08
Falta de senso comum :S
Não acho boa ideia o pessoal ir praticamente despido para a escola.


De diogohoffbauermdias a 19 de Maio de 2009 às 00:20
Nem eu.


De Teresa Hoffbauer a 19 de Maio de 2009 às 00:52
Espero, Diogo, que não nos obrigues a andar de Burka!


De diogohoffbauermdias a 19 de Maio de 2009 às 01:02
Longe de mim privar-me da beleza feminina. Eu orgulho-me e incentivo a Rita a andar de decote. Mas não a incentivo a levar um para uma sala de aula. Se bem que seria útil com alguns professores para uma eventual subida de nota...


De Teresa Hoffbauer a 19 de Maio de 2009 às 03:56
-|y161y|-


De isabel monteverde a 19 de Maio de 2009 às 08:02
Olá Diogo

Ontem estive aqui, fui pensar:) Olhei para mim e disse "estou com um grande decote". Ando sempre muito decotada, de Inverno ou de Verão. Claro, não vou decotada para um lugar onde é impróprio. As regras sociais servem para isso mesmo, travar a falta de senso de muitas pessoas. E não restam dúvidas que a dessacralização dos lugares é dado adquirido.
É de muito mau gosto ir a um baptizado, por exemplo, como se fosse para uma festa mundana. Assim como é ridículo ir a um casamento como se fosse a uma festa de Carnaval.

Acho que até para se usar um decote é preciso saber-se, em algumas mulheres torna-se aberrante.

E dei a minha oipnião, já que sou muito ousada nos decotes, mas sei que os posso usar sem causar repulsa a ninguém.

Beijo
Isabel


De diogohoffbauermdias a 19 de Maio de 2009 às 11:05
Repulsa é uma palavra muito forte...


De Ana a 19 de Maio de 2009 às 20:06
Ahh...muito bem. Uma boa descoberta esta de que o menino Diogo "Esquiso", que usa um belo guarda-chuva verde, tem jeito para a escrita ;) Uma crítica humoristica, oportuna e refinada. Gostei =) vou passar a estar atenta*


De diogohoffbauermdias a 19 de Maio de 2009 às 22:45
Isto não é nenhum "Avante!", mas ao menos é diário.


De geocrusoe a 19 de Maio de 2009 às 22:41
Giríssimo post e além disso cheio de oportunidade, humor e bom senso. Claro que algumas pessoas pensam que pedir bom senso é ser censor... , mas não. bom senso é apenas uma coisa que falta a muitos que em liberdade não sabem os seus limites e podem deixar os outros incomodados desnecessariamente.


De diogohoffbauermdias a 20 de Maio de 2009 às 23:21
Obrigado pelos elogios. O bom senso é um conceito tramado...


De Paupau a 21 de Maio de 2009 às 17:17
Tb subscrevo a subida dos decotes, desde que seja compensada pela também subida das saias...

Paupau


Comentar post

↘Mais sobre mim
↘Pesquisar neste blog
 
↘Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


↘Posts recentes

Aviso

Partido, Largada, Fugida

Apertado

Reis da Selva

Saltou-lhe a tampa

A idade só pesa sobre os ...

Tal mãe, tal desconhecida

O Donut de Eros

Cabeça para cima, polegar...

Perfume de Muamba

Domingo pouco Desportivo

Os preguiçosos não se tor...

A saúde vem de autocarro ...

Ópios do povo, qual deles...

Um abraço neste Shopping ...

↘Despensa

Junho 2009

Maio 2009

↘tags

todas as tags

↘Links
blogs SAPO
↘subscrever feeds